BC divulga déficit de US$ 735 milhões em transações correntes

As transações correntes brasileiras registraram um déficit de US$ 735 milhões em abril, de acordo com dados divulgados hoje pelo Departamento Econômico (Depec) do Banco Central. De acordo com os técnicos do BC, o resultado negativo é reflexo da grande concentração de pagamentos de juros.O resultado das transações correntes é formado pelo saldo da balança comercial (exportações menos importações), a balança de serviços (Fretes pagos e recebidos de navios estrangeiros, juros de empréstimos estrangeiros, lucros remetidos e recebidos do exterior, etc.) e as transferências unilaterais (donativos).No acumulado no primeiro quadrimestre do ano, as transações correntes do País estão com um saldo positivo de US$ 948 milhões ou 0,53% do Produto Interno Bruto (PIB). Nos últimos 12 meses, o resultado acumulado é superavitário em US$ 5,842 bilhões, o equivalente a 1,14% do PIB.Resultado não surpreende BCO déficit das transações correntes em abril não foi uma surpresa para o chefe do Depec, Altamir Lopes. "O resultado vem absolutamente dentro do esperado. Temos uma concentração de pagamentos de juros da dívida externa nos meses de abril e outubro, por força da renegociação da dívida (que gerou os chamados bradies)", explicou Lopes.Mesmo considerando o déficit registrado, o resultado do mês passado foi o melhor para meses de abril desde 1994. "Os déficits em abril costuma ser bem mais elevados", ponderou. Essa "melhora" no resultado das transações correntes de abril, frente a períodos similares em anos passados, reflete o comportamento da balança comercial este ano, segundo explicou Lopes. Uma certa estabilidade do movimento da conta de serviços também contribuiu para isso.Para maio, o Banco Central espera a retomada dos resultados positivos das transações correntes brasileiras. "É importante frisar que em termos de conta corrente esperamos um superávit de US$ 1 bilhão agora em maio", disse Lopes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.