BC diz que greve teve adesão de 33%; para sindicato, de 70%

O primeiro dia de greve, por tempo indeterminado, dos funcionários do Banco Central (BC) contou com uma adesão de cerca de 33%, segundo informações da assessoria de imprensa do banco. O presidente do Sindicato dos Funcionários do BC (Sinal) em Brasília, Paulo Calovi, disse que não tinha informações disponíveis para contestar o dado divulgado pelo BC. Ele salientou, no entanto, que a adesão ao movimento em Brasília chegou a 75% e que, no Rio de Janeiro, ficou em aproximadamente 70%. "A greve em Brasília está forte", disse. Os servidores do BC querem um reajuste salarial de 57% e garantir a reabertura do diálogos com representantes do Ministério do Planejamento. A assessoria do BC informou, ao mesmo tempo, que o serviço de distribuição de dinheiro aos bancos não chegou a ser afetado pelo movimento dos grevista. O representante do Sinal contesta a informação e diz que o departamento responsável pela realização deste serviço não funcionou no dia de hoje. A greve, de acordo com o BC, tampouco afetou o funcionamento do sistema responsável pelas operações de transferências eletrônicas entre bancos. "Essa informação é verdadeira. Mas, a partir de amanhã, este serviço vai passar a operar em regime de contingência", disse o sindicalista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.