BC do Japão faz alerta sobre recuperação fraca de exportações

O BC japonês também alertou que, embora a produção industrial provavelmente vá crescer moderadamente, a produção de automóveis e computadores pessoais pode continuar enfraquecida

LEIKA KIHARA, REUTERS

11 de agosto de 2014 | 09h09

Uma fraca demanda da Ásia e uma mudança na produção japonesa no exterior continuará a pesar sobre as exportações, disse o banco central do Japão, salientando sua convição cada vez menor de que as exportações terão uma retomada logo e sustentarão uma frágil recuperação econômica.

O BC japonês também alertou que, embora a produção industrial provavelmente vá crescer moderadamente, a produção de automóveis e computadores pessoais podem continuar enfraquecida devido a uma demanda fraca.

"A economia chinesa deve sustantar o crescimento estável mas o excesso de capacidade ociosa em seu setor industrial, que tem um grande efeito na economia japonesa, continua um problema", disse o banco central em seu relatório econômico mensal para agosto, divulgado nesta segunda-feira.

"Algumas outras nações emergentes ... podem também ver o crescimento com uma falta de ímpeto por um período prolongado de tempo", enquanto uma mudança continuada na produção japonesa no exterior também limitará o crescimento das exportações por enquanto, disse o BC do Japão.

O relatório disse que as exportações provavelmente "vão caminhar para uma recuperação moderada", oferecendo uma visão levemente mais sombria sobre a perspectiva do que no mês passado, quando havia dito de maneira mais clara que as exportações iriam "se recuperar moderadamente".

O BC do Japão divulga um sumário de sua avaliação econômica no dia de sua reunião de definição de política, que neste mês ocorreu na última sexta-feira, e divulga uma análise mais completa em um relatório mensal publicado no dia útil subsequente.

Tudo o que sabemos sobre:
MACROJAPAOEXPORTACOES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.