BC do Japão mantém juro e vê deflação mais fraca

Instituição reiterou que manterá as condições monetárias bastante afrouxadas

Roberto Carlos dos Santos, da Agência Estado,

26 Janeiro 2010 | 07h16

O Banco do Japão (BOJ, banco central do país) manteve inalterada sua taxa básica de juros ("unsecured overnight call loan rate") em 0,1%, pondo em suspenso os ajustes na política monetária, enquanto analisa os efeitos de medidas de flexibilização recentemente implementadas. O BC disse ainda prever três anos de deflação e manteve os prognósticos de crescimento econômico feitos há três meses.

 

No final de uma reunião de dois dias, o conselho de política monetária da instituição aprovou, por unanimidade, deixar a taxa básica no mesmo nível em que tem sido mantida desde dezembro de 2008.

A decisão se segue à introdução pelo BOJ, no início de dezembro, de um novo programa para oferecer até cerca 10 trilhões de ienes (US$ 111 bilhões) em fundos de três meses para instituições financeiras, a uma taxa de juro fixa de 0,1%.

 

VEJA TAMBÉM:
S&P revisa perspectiva para rating do Japão para negativa

O objetivo é aumentar a quantidade de dinheiro disponível para os mercados e estimular a demanda privada. Houve forte procura por esses recursos, porque a taxa é baixa e os bancos querem contabilizar o dinheiro no ano fiscal que termina em 31 de março.

 

O BOJ também manteve inalterada a sua avaliação econômica, dizendo que a economia do Japão "está melhorando principalmente devido às várias medidas de política monetária tomadas internamente e no exterior".

 

Segundo o BOJ, o forte crescimento nas economias emergentes tem ajudado na contínua melhora das exportações do país, mas a demanda doméstica continua fraca. As informações são da Dow Jones.

 

(Com Reuters)

Mais conteúdo sobre:
Japão BC juro

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.