BC do Japão mantém juro e vê expansão no menor ritmo em 6 anos

O Banco do Japão reduziu sua projeção decrescimento para o menor patamar em seis anos e fez um alertasobre a alta da inflação, a maior em uma década, nestaterça-feira, quando decidiu manter a taxa de juro inalterada. O aumento dos custos com energia e o enfraquecimento dasexportações tem afetado a segunda maior economia do mundo. Mas embora o país esteja enfrentando uma combinação dedesaceleração do crescimento e aumento da inflação, a economiajaponesa não vive um período de estaginflação, afirmou opresidente do BC japonês, Masaaki Shirakawa, após a reunião emque foi decidida a manutenção da taxa de juro. Com a taxa básica em apenas 0,5 por cento, investidoresesperam que o próximo movimento do BC seja um aumento do juro.Mas o Banco do Japão está mais preocupado com crescimento doque inflação e os mercados preficicam apenas 16 por cento dechances de um aumento do juro este ano. O Banco do Japão reduziu sua estimativa de crescimentoeconômico do país para o ano fiscal para 1,2 por cento, ante1,5 por cento projetado no relatório semestral de perspectivasdivulgado em abril. No novo relatório, o BC japonês assume queos preços das commodities vão continuar relativamente elevados. O BC agora vê 1,5 por cento de crescimento no ano fiscal de2009/20010, comparado à estimativa anterior de uma expansão de1,7 por cento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.