finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

BC do México mantém juros a 7,25% e viés de alta

O Banco do México não fez nenhuma alteração em sua política monetária e manteve a taxa básica de juros em 7,25% ao ano e o viés de alta, ao ressaltar que a inflação continua a se comportar conforme o esperado. Foi o quarto mês seguido que a taxa foi mantida, após o aumento-surpresa de 0,25 ponto porcentual em abril. No comunicado, o BC mexicano alertou mais uma vez que está pronto para apertar a política se a inflação não começar a convergir para dentro da meta de 3% ao ano, nível que deve ser alcançado no fim do próximo ano.A decisão do BC era amplamente esperada pelo mercado e foi anunciada um dia depois da divulgação dos dados sobre a inflação no país. O índice de preços ao consumidor subiu 0,20% na primeira quinzena de agosto, com uma alta de 4,10% em relação ao mesmo período de 2006; em julho, os preços ao consumidor haviam subido 4,14% em relação ao mesmo período do ano passado. A alta ficou em linha com as previsões. No comunicado de hoje, o Banco do México disse que tanto o índice cheio quanto o núcleo ficaram dentro das margens esperadas. No fim de julho, o banco reduziu sua previsão para o fim do ano para a inflação cheia em 0,25 ponto porcentual para uma faixa entre 3,25% e 3,37%, apesar de ter reconhecido que o índice poderá atingir 4,25% no terceiro trimestre.O BC afirmou no comunicado de hoje que os riscos para a inflação persistem, reiterando que as perspectivas para o componente de alimentação no núcleo "não são tranqüilizadoras". Ainda assim, o BC mudou sua visão de que a inflação havia piorado e disse, desta vez, que continua preocupado que as expectativas de inflação no médio prazo continuem acima da meta de 3%. O BC ressaltou, no entanto, o risco de que o aumento recente nos preços de alguns alimentos crie mais pressões.Com relação à turbulência recente nos mercados financeiros, o banco central reconheceu que a aversão ao risco "aumentou consideravelmente", apesar de afirmar que os mercados mexicanos conseguiram funcionar normalmente. As informações são da Dow Jones.

CAROLINA RUHMAN, Agencia Estado

24 de agosto de 2007 | 14h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.