Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

BC dos EUA cria linha para apoiar crédito ao consumidor

O Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) ampliou os esforços para apoiar os mercados de crédito por meio da criação de novos programas que visam impulsionar o crédito ao consumidor e o mercado de títulos lastreados em hipotecas. Dentro da Linha de Empréstimos de Títulos Lastreados em Ativos a Termo (Talf, na sigla em inglês), o Fed irá estender até US$ 200 bilhões em empréstimos para os detentores de títulos lastreados em ativos que têm como garantia empréstimos a consumidores e pequenas empresas, como empréstimos estudantis, para aquisição de automóveis e empréstimos concedidos via cartão de crédito.A linha de empréstimo do Fed implica que, em caso de inadimplência, o credor pode confiscar a garantia, mas não pode ir atrás do tomador do empréstimo para buscar compensação adicional, mesmo que a garantia não cubra a quantia total do calote."O Talf tem o intuito de aumentar a disponibilidade de crédito e apoiar a atividade econômica ao facilitar novas emissões de títulos lastreados em ativos garantidos por empréstimos ao consumidor e a pequenas empresas a spreads de juro mais normais", disse o Fed, em comunicado.O Departamento do Tesouro dos EUA, por sua vez, irá conceder US$ 20 bilhões em fundos dentro do Programa de Alívio de Ativos Problemáticos (Tarp, na sigla em inglês) para apoiar a iniciativa.HipotecasO Fed anunciou, paralelamente ao anúncio da linha para apoiar os consumidores, um programa para adquirir as obrigações diretas relacionadas a imóveis das agências hipotecárias Fannie Mae, Freddie Mac e do Federal Home Loan Banks - e ativos lastreados por hipotecas garantidos pelas agências Fannie Mae, Freddie Mac e Ginnie Mae.Segundo o Fed, "esta ação está sendo tomada para reduzir o custo e aumentar a disponibilidade de crédito para a compra de imóveis, o que, por sua vez, irá sustentar os mercados imobiliários e alimentar condições melhores nos mercados financeiros de modo geral".Serão adquiridos até US$ 100 bilhões em obrigações diretas das agências hipotecárias por meio de leilões conduzidos junto às instituações financeiras credenciadas nas linhas de crédito do Fed (primary dealers) a partir da semana que vem. Serão adquiridos também até US$ 500 bilhões em ativos lastreados por hipotecas garantidos pelas agências durante vários trimestres. As informações são da Dow Jones e do website do Fed.

CYNTHIA DECLOEDT E NATHÁLIA FERREIRA, Agencia Estado

25 de novembro de 2008 | 12h04

Tudo o que sabemos sobre:
créditoconusmidorFed

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.