BC dos EUA traz alívio, mas não impede queda da Bovespa

Vale, siderúrgicas e Cielo pressionaram para baixo e Bolsa encerrou em queda de 0,42%

Claudia Violante, Agência Estado

30 de julho de 2014 | 17h17

O comunicado do Fed trouxe alívio aos mercados de ações e a Bovespa encerrou com uma queda bem mais amena do que os níveis registrados na mínima da sessão, no começo da tarde. Mas ainda assim não conseguiu sustentar o patamar de 57 mil pontos. Petrobrás subiu e ajudou a puxar os ganhos, enquanto Vale, siderúrgicas e Cielo pressionaram para baixo. 

A Bolsa brasileira teve sua quarta sessão consecutiva no vermelho, período em que acumulou queda de 1,89%. Na sessão de hoje, caiu 0,42%, aos 56.877,97 pontos, menor nível desde o último dia 17 (55.637,51 pontos). Na mínima, registrou 56.706 pontos e, na máxima, 57.439 pontos (+0,56%). O giro ficou em R$ 5,217 bilhões. 

Petrobrás avançou 1,17% a PN e 1,36% a ON. Vale, que divulga balanço amanhã, caiu 2,13% na ON e 1,43% a PNA. 

Em Nova York, o Dow Jones recuou 0,19%, aos 16.880,36 pontos, S&P 500 teve ligeira alta de 0,01%, aos 1.970,07 pontos, e o Nasdaq avançou 0,45%, aos 4.462,90 pontos.

Como esperado, o Fed manteve o juro na faixa entre zero e 0,25% e anunciou nova redução de US$ 10 bilhões no programa de compra de ativos. No comunicado, afirmou que "os juros continuarão baixos por 'tempo considerável' após o fim da QE3" e que a posição acomodatícia da política monetária continua apropriada. Disse, ainda, que a probabilidade de a inflação ficar persistentemente abaixo de 2% diminuiu, mas que o juro pode permanecer baixo mesmo após o cumprimento das metas.

Logo após a divulgação do comunicado, houve avanço no desempenho das ações em Wall Street, que trouxe a Bovespa a reboque. Para o mercado, o texto continuou amparando a ideia de que a taxa dos Fed Funds ficará em níveis historicamente baixos por um período prolongado, a despeito de o PIB dos EUA divulgado pela manhã ter surpreendido positivamente. A economia norte-americana subiu 4% de abril a junho, acima dos 3% esperados pelo mercado. 

Apesar da melhora, a Bovespa não terminou no azul por causa de fatores domésticos, como a expectativa com pesquisas regionais a serem divulgadas pelo Ibope e também com a espera pelos números da Vale. 

Gerdau PN teve perda de 2,55%, após o balanço divulgado nesta quarta-feira. O lucro líquido reportado para o segundo trimestre deste ano foi de R$ 393 milhões, queda de 2% em relação ao mesmo período do ano anterior. 

Também a Cielo divulgou hoje seus números. Apesar da alta de 25,9% do lucro, a ação recuou 4,75% e liderou as perdas do Ibovespa. 

Tudo o que sabemos sobre:
bovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.