BC e Fazenda alinham o discurso contra inflação

O ministério da Fazenda e o Banco Central (BC) estão ?aparando as arestas? para evitar que ruídos desnecessários contaminem ainda mais as expectativas do mercado e intensifiquem a aceleração dos preços. O ministro Guido Mantega e o presidente do BC, Henrique Meirelles, ao contrário de outros momentos, operam em sintonia para que suas ações e discursos não sejam fonte adicional de volatilidade no mercado financeiro, a ponto de prejudicar o combate à escalada dos preços e comprometer o crescimento da economia em 2009.O cenário considerado pela equipe econômica é que a inflação só se vai desacelerar no fim do ano e voltará ao centro da meta de 4,5% em 2009. Essa perspectiva ainda não foi testada nas previsões do mercado financeiro. A dúvida é se o mercado compreenderá, já no curto prazo, a nova linguagem dos economistas do governo. A pesquisa Focus, que revela as apostas em relação ao comportamento da inflação, divulgada semanalmente pelo Banco Central (BC), ainda não demonstrou a reversão das expectativas. A cada semana, as projeções têm piorado. Todo o esforço está direcionado para reverter a aceleração da inflação. Por isso, a transmissão da mensagem de maior unidade da Fazenda e do Banco Central é fundamental. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.