BC e Fiesp divergem sobre recuperação da economia

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles e o presidente da Fiesp, Horácio Lafer Piva, mostraram hoje visões divergentes sobre a recuperação da economia. Enquanto Meirelles destacou o papel da indústria de São Paulo no crescimento, Piva disse que o melhor desempenho industrial é o das empresas voltadas para o mercado externo. "Ainda temos um mercado interno muito fraco, cuja contribuição ao crescimento é pequena", afirmou o presidente da Fiesp. Os dois foram agraciados hoje com um prêmio concedido por uma revista de um banco.O presidente do BC transmitiu uma visão otimista em relação ao futuro da economia, mas não quis comentar a elevação das projeções de inflação para este ano e para os próximos 12 meses, conforme pesquisa divulgada hoje pelo próprio Banco Central. Disse apenas que está alerta para o comportamento da inflação.Numa mudança de tom em relação ao discurso habitual, o presidente da Fiesp defendeu a redução dos juros cobrados pelos bancos. Ele admitiu que a elevação das projeções de inflação esfriam a expectativa com a retomada do crescimento e também com a queda da taxa de juros. De acordo com Piva, o acesso ao crédito seria fundamental para uma recuperação mais forte do mercado interno.Ao contrário de Meirelles, para quem a política monetária foi bem-sucedida, Piva disse que os juros deveriam ter sido reduzidos há mais tempo, mas diante do novo cenário passou a defender a redução dos juros dos bancos. O empresário, no entanto, disse que, embora a inflação preocupe, não deve ser vista como um fator de risco.

Agencia Estado,

05 de julho de 2004 | 16h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.