''BC enfrentou o maior dilema dos últimos 80 anos''

O professor da Universidade de São Paulo (USP) Simão Silber diz que o Copom acertou ao manter a Selic em 13,75% ao ano.Como avalia a decisão do Copom?É a decisão mais razoável, levando-se em conta a incerteza e a crise de confiança no mundo, que têm levado a maioria dos bancos centrais a reduzir os juros. A decisão do BC é histórica. Nenhum banco central enfrentou um dilema desse tamanho nos últimos 80 anos. O balanço de riscos, hoje, pende mais para uma desaceleração do que para uma alta da inflação?Sim. A única pressão inflacionária que sobrou no Brasil é via câmbio. Aquilo que poderia funcionar via aumento de juro - controle da liquidez e do crédito - o mercado já fez sozinho por causa do pânico. O Brasil vai crescer menos?Sim. Diria que, mesmo sem muita certeza a esta altura, o Brasil caminha para um crescimento modesto em 2009, entre 2,5% e 3%. Como fica a inflação?Não fica descontrolada porque a demanda está caindo. Os primeiros números de outubro já indicam redução drástica, por exemplo, de venda de veículos. O BC teria espaço para cortar o juro ou é cedo para dizer isso?É cedo por causa do comportamento da taxa de câmbio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.