BC está mais rigoroso com financiamento de automóveis

Não é apenas o Ministério da Fazenda que tem demonstrado preocupação com a evolução do crédito. O Banco Central tem apertado a fiscalização nos bancos, principalmente no financiamento de veículos. Nas instituições financeiras, a avaliação é a de que o trabalho do BC nunca foi tão rigoroso. Para o setor, o governo se esforça para evitar problemas com uma eventual disparada da inadimplência. Nos últimos meses, a atuação dos técnicos do BC é cada vez mais freqüente nos bancos. A atuação tem despertado atenção em algumas instituições financeiras, que nunca viram a autoridade monetária tão rigorosa. A preocupação do BC com uma eventual disparada da inadimplência é explicada pela expansão da carteira de crédito de veículos nos últimos meses. No tradicional Crédito Direto ao Consumidor (CDC) para a compra de carros, o total de empréstimos aumentou 28,7% nos últimos 12 meses, para R$ 82,990 bilhões. O salto é ainda maior no leasing, que cresceu 113,1%, para R$ 31,144 bilhões. Os dados do BC se referem a janeiro. Esse crescimento tem ocorrido juntamente com o alargamento dos prazos. Atualmente, é possível encontrar financiamento de até 99 meses para a compra de veículos.A fiscalização do BC tem avaliado a consistência dos contratos e a cobrança de tarifas, como a Taxa de Abertura de Crédito (TAC). Os fiscais também têm olhado com lupa a divulgação do CET nos novos contratos. "A programação de fiscalização é extensa e o crédito é a área que mais preocupa. Por enquanto, não encontramos grandes problemas ou qualquer sinal de crise", disse ao Estado um dos técnicos que participa da fiscalização nos bancos e pediu para não ser identificado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.