BC estima déficit em conta corrente de US$ 6 bi em maio

O chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Túlio Maciel, informou que o BC projeta um déficit de US$ 6 bilhões para as transações correntes para maio. Maciel afirmou que, como proporção do PIB, o déficit de transações correntes está estável. "E a tendência é de que se mantenha", afirmou. O resultado ficou em 4,65% no acumulado dos quatro primeiros meses do ano, ante 4,55% no mesmo período do ano passado. Para o fim do ano, a previsão é de que fique em 3,59%.

LAÍS ALEGRETTI E VICTOR MARTINS, Agencia Estado

23 de maio de 2014 | 11h40

Segundo Maciel, o déficit de abril veio um pouco acima do esperado, refletindo as contas de renda e de serviços. "As contas de renda e serviços tiveram despesas um pouco maiores. Na parte de serviços, cabe destacar o crescimento maior principalmente de viagens internacionais", explicou. "Despesas com viagens internacionais vêm moderando desde outubro e agora tivemos um repique. Adicionalmente, tivemos despesa maior na conta de renda vinda da remessa de lucros e dividendos."

O saldo de remessas de lucros e dividendos ficou negativo em US$ 3,291 bilhões em abril. As receitas (US$ 16 milhões) ficaram bem acima das remessas (US$ 2,083 bilhões). No mesmo período de 2013, o resultado foi uma saída líquida de US$ 2,542 bilhões.

No acumulado de 2014, o saldo está negativo em US$ 8,968 bilhões, ante US$ 9,516 bilhões no mesmo período de 2013. O BC informou ainda que as despesas líquidas com juros externos somaram US$ 1,223 bilhão em abril e US$ 4,750 bilhões no acumulado do ano. Em 2013, o gasto com juros totalizou US$ 1,055 bilhão em abril e US$ 4,201 bilhões nos primeiros cinco meses do ano.

A parcial da conta de viagens internacionais até o dia 21 deste mês, segundo Maciel, é de despesas líquidas de US$ 1,087 bilhão. No mesmo período, a parcial de receitas brutas está em US$ 338 milhões, enquanto as despesas brutas estão em US$ 1,425 bilhão.

IED

O Banco Central projeta para maio um volume de Investimento Estrangeiro Direto (IED) em US$ 5 bilhões, segundo o chefe do Departamento Econômico do BC, Túlio Maciel. No mês, até dia 21, o IED já somou US$ 4,1 bilhões, de acordo com o Banco Central. Em abril, o IED somou US$ 5,233 bilhões, um pouco abaixo da estimativa do BC, que era de US$ 5,3 bilhões.

Maciel avalia que o quadro de financiamento "segue evoluindo favoravelmente". "Seguimos financiando cerca de 80% das transações correntes com investimentos estrangeiros diretos", disse. Além disso, segundo Maciel, as taxas de rolagem estão favoráveis

Tudo o que sabemos sobre:
setor externoBCprevisão maio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.