Andre Dusek/Estadão
Andre Dusek/Estadão

Estoque de crédito só aumentou nos bancos públicos em abril

Entre os bancos públicos, o crédito avançou 0,4% em abril, enquanto nos privados, recuou 0,5%

CÉLIA FROUFE E VICTOR MARTINS, O Estado de S. Paulo

27 Maio 2015 | 11h21

BRASÍLIA - Os bancos públicos foram os únicos a registrar aumento do estoque de crédito em abril sobre março, de acordo com dados do Banco Central. Houve avanço de 3,2% no primeiro quadrimestre nesse segmento, para um total de R$ 1,674 trilhão. Apenas em abril, o crescimento foi de 0,4% e, em 12 meses, de 15,5%.

Nos bancos privados nacionais, a queda foi de 0,5% no mês. No ano até abril, houve baixa de 1,3% e, em 12 meses encerrados no mês passado, ainda é vista uma alta de 4,7%. Já nos estrangeiros, houve estabilidade de março para abril e elevação de 0,9% no ano até o mês passado. Em 12 meses, o avanço foi de 5,4%.

O estoque de operações de crédito do sistema financeiro como um todo subiu 0,1% em abril ante março e chegou a R$ 3,061 trilhões. No primeiro quadrimestre, houve alta de 1,4% e, em 12 meses até abril, de 10,5%. O BC informou ainda que o total de operações de crédito em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) passou de 54,8% em março para 54,5% no mês passado.

Houve redução de 0,4% para pessoas jurídicas e alta de 0,6% para o consumidor no mês. No primeiro quadrimestre, a alta está em 0,6% para as empresas e em 2,5% para a pessoa física. No caso do período de 12 meses encerrados no mês passado, as taxas são de crescimento de, respectivamente, 9,0% e 12,1%.

Habitação. As operações de crédito direcionado para habitação no segmento pessoa física cresceram 1,9% em abril ante março, totalizando R$ 460,400 bilhões. No quadrimestre, a expansão foi de 6,7% e, em 12 meses até abril, de 26,3%. Segundo o BC, R$ 64,048 bilhões se referem a empréstimos a taxas de mercado e R$ 396,352 bilhões a taxas reguladas.

Veículos. O estoque de operações de crédito livre para compra de veículos por pessoa física recuou 1,1% de março para abril. Com isso, o total de recursos para aquisição de automóveis por esse grupo de clientes ficou em R$ 177,662 bilhões no mês passado - em março o volume foi de R$ 179,570 bilhões. De janeiro a abril deste ano, a queda nesse tipo de crédito é de 3,5% e, em 12 meses até o mês passado, de 6%.

Média diária. De acordo com o BC, a média diária de concessões de crédito livre subiu 2,4% em abril em relação a março, para R$ 13,7 bilhões. A alta no primeiro quadrimestre do ano foi de 2,4% e, em 12 meses até abril, de 2,8%. No crédito direcionado, a média subiu 6% na comparação mensal, mas ainda assim, insuficiente para levar o resultado do ano para o terreno positivo, ficando a queda em 13,1% no primeiro quadrimestre. Em 12 meses, o recuo é de 4,3%. Esse montante do crédito direcionado somou R$ 1,9 bilhão no mês passado.

Quando se junta o crédito livre mais o direcionado, a alta é de 2,8% em abril, de 0,3% no primeiro quadrimestre e de 1,7% em 12 meses até abril. O total das concessões diárias ficou em R$ 15,6 bilhões no mês passado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.