REUTERS/Kai Pfaffenbach
REUTERS/Kai Pfaffenbach

Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

BC Europeu anuncia medidas de estímulo à economia

Para combater os efeitos do coronavírus, BCE disse que vai elevar em 120 bilhões de euros programa de compra de ativos, mas manteve taxas de juros inalteradas

André Marinho, Eduardo Gayer e Sérgio Caldas, O Estado de S.Paulo

12 de março de 2020 | 11h12

O Banco Central Europeu (BCE) anunciou nesta quinta-feira, 12, uma série de medidas para garantir a liquidez do sistema bancário em meio aos impactos econômicos do surto de coronavírus. Contrariando a previsão de analistas, o banco resolveu manter inalterada suas taxas de juros, entre 0% e -0,5%. Mas a instituição informou que haverá um pacote para "garantir que os bancos diretamente sob sua supervisão possam continuar cumprindo seu papel de financiar a economia real, à medida que os efeitos econômicos do coronavírus se tornarem aparentes".

Entre as ações anunciadas, o BCE vai permitir que os bancos usem completamente seus colchões de liquidez e capital e vai considerar flexibilizações operacionais em medidas de supervisão para determinados bancos. Os colchões de liquidez e capital têm sido definidos, de acordo com o BCE, de forma a permitir que os bancos enfrentem situações de estresse como a atual. A instituição ainda ressalta que o setor bancário tem aprimorado significativamente esses colchões e acrescenta que permitirá que os bancos operem temporariamente abaixo do nível de capital definido pela regulação.

"Um envelope temporário de compras adicionais de ativos líquidos no valor de 120 bilhões de euros será adicionado até o final do ano, garantindo uma forte contribuição dos programas de compras do setor privado", afirmou o banco.  O BCE ainda informa que está discutindo com os bancos medidas individuais, como o ajuste de cronogramas, processos e prazos.

A presidente do BCE, Christine Lagarde, disse que o BCE está disposto a ajustar todos instrumentos, quando necessário. "Vamos continuar monitorando disseminação do coronavírus de perto. Novas medidas vão apoiar liquidez e financiamento para famílias e bancos", disse.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.