BC europeu diz que não houve forte impacto até agora

A turbulência financeira dos mercados não teve influência significativa nas condições de financiamento na zona do euro até o momento, disse hoje o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet. "Há pouca evidência até o momento sobre isto", disse Trichet, durante seu depoimento trimestral no Comitê de Assuntos Econômicos e Monetários do Parlamento Europeu, em Bruxelas. A zona do euro é composta por 15 países da Europa que têm em comum o euro como unidade monetária.A declaração de Trichet segue-se, entretanto, a uma injeção de 50 bilhões de euros em recursos extraordinários, feita ontem, no leilão regular de refinanciamento do BCE, o que ainda não foi suficiente para trazer as taxas de juros do mercado interbancário para baixo.InflaçãoTrichet disse que a instituição "vê os riscos de alta à estabilidade dos preços prevalecendo". Segundo ele, é provável que as taxas de inflação permaneçam elevadas, depois de terem superado 3% (taxa anual) na esteira da alta dos preços dos alimentos e de energia nos últimos meses."O período de alta relativa da inflação, em que se mantém em 3% ou acima disto, deve ser mais duradouro do que o previsto anteriormente", afirmou Trichet. Ele acrescentou que o conselho de diretores do BCE manteve a taxa de juro em 4% ao ano na reunião de 6 de março para assegurar a estabilidade dos preços no médio prazo. Questionado sobre como define médio prazo, Trichet respondeu tratar-se de um período de "18 a 24 meses". As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.