BC faz ajuste em nova regra para compulsório de depósito a prazo

O Banco Central reeditou nesta sexta-feira circular que flexibilizou a regra do recolhimento compulsório de parcela dos depósitos a prazo dos bancos com o objetivo de aumentar o controle sobre as exigências. Na noite de quinta-feira, a autoridade monetária havia autorizado as instituições financeiras a abaterem da parcela de 15 por cento dos depósitos a prazo que são obrigados a recolher ao BC as carteiras de crédito que adquiram de bancos pequenos e médios. Agora, o BC determinou que os bancos que vendem suas carteiras ficarão proibidos de recomprá-las. Eles poderão, em contrapartida, manter a co-obrigação sobre as carteiras. "O objetivo da medida é propiciar o melhor controle do abatimento do compulsório que os bancos vão poder fazer", afirmou o BC por meio de sua assessoria. O abatimento ficou limitado a 40 por cento do compulsório -- parcela que corresponde atualmente a 23,5 bilhões de reais, segundo informações do BC. Só poderão ser adquiridas carteiras de crédito de instituições financeiras com patrimônio de referência de até 2,5 bilhões de reais. (Reportagem Isabel Versiani)

REUTERS

03 Outubro 2008 | 20h33

Mais conteúdo sobre:
BACEN COMPULSORIO AJUSTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.