Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

BC faz dois leilões e dólar supera nível de R$ 1,84 após 3 meses

Cenário:

SILVANA ROCHA , O Estado de S.Paulo

17 de abril de 2012 | 03h05

O dólar à vista fechou ontem acima de R$ 1,840 pela primeira vez desde 6 de janeiro, com alta de 0,16%, a R$ 1,8410 no balcão. O avanço de preço da moeda norte-americana ante o real ocorreu em meio a um volume forte de negócios e após dois leilões de compra da divisa dos EUA por parte do Banco Central.

Esta segunda-feira marcou a terceira sessão seguida em que a autoridade monetária realizou dois leilões de compra à vista em um mesmo dia. Com isso, o mercado de câmbio no Brasil se descolou da queda da moeda dos Estados Unidos ante outras divisas verificada no exterior.

Com os leilões de compra, o Banco Central absorveu o fluxo cambial positivo excedente no dia e, mais uma vez, sinalizou que o novo piso informal para a moeda norte-americana é mesmo de R$ 1,840. As cotações do dólar comercial, durante a segunda-feira, ajustaram-se para cima após cada atuação da autoridade monetária.

No primeiro leilão, a taxa de corte ficou em R$ 1,8371 e, no segundo, em R$ 1,8404 - ambas cotações acima dos preços à vista na hora em que os leilões foram realizados.

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), por sua vez, fechou ontem em baixa de 0,24%, aos 61.954 pontos, sob a influência do vencimento de opções sobre ações. Os papéis de Vale e Petrobrás foram os mais pressionados pelo vencimento de opções, o que conduziu o Ibovespa para o território negativo ao fim da manhã. À tarde, o Ibovespa reduziu as perdas, mas não o suficiente para voltar ao território positivo. Além disso, os dados mistos divulgados pela manhã nos EUA não abriram espaço para recuperações mais consistentes.

Com o resultado de ontem, o Ibovespa acumula queda de 3,96% em abril. No ano, o índice registra ganho de 9,16%. Vale ON recuou 1,31% e Vale PNA teve baixa de 1,27%. Já Petrobrás ON teve baixa de 0,31% e Petrobrás PN caiu 0,74%. As ações ON da Cielo foram o destaque de queda do Ibovespa ontem, com declínio de 4,85%. O movimento foi puxado por previsões negativas para o setor feitas pelo presidente executivo do Itaú, em teleconferência sobre a Redecard, Roberto Egydio Setubal. Redecard ON perdeu 0,30%.

Na renda fixa, as taxas curtas dos contratos futuros de juros seguiram próximas dos ajustes anteriores, com o mercado convicto de que o Copom reduzirá a Selic, esta semana, de 9,75% para 9,00% ao ano. A dúvida gira em torno do passo seguinte da autoridade monetária, em maio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.