BC francês diz que correntista não precisa ter medo

O presidente do Banco Central da França, Christian Noyer, disse hoje que o Société Générale é uma instituição financeira sólida, apesar da divulgação de fraude que custou 4,9 bilhões de euros ao banco. Noyer declarou que o tamanho da perda do segundo maior banco francês foi exacerbado pelas más condições dos mercados financeiros.O banco Société Generale identificou como Jerome Kerviel o operador que fraudou o banco em 4,9 bilhões de euros (cerca de US$ 7,1 bilhões). Kerviel, 31 anos, entrou no banco em 2000 e trabalhava na mesa de contratos futuros, na central do banco em Paris.De acordo com o presidente do BC francês, o SocGen cumpre todos os padrões de liquidez, solvência e lucratividade. Ele disse ainda que os correntistas franceses não têm motivos para ter medo, uma vez que os problemas do SocGen foram rapidamente tratados e que os bancos franceses continuam sólidos.Para Noyer o Société Générale sairá bem do incidente financeiro. Ele informou que a comissão bancária do país investigará o caso e que no processo serão observados os padrões de todos os bancos franceses. Noyer também disse que o banco central foi informado do problema tão logo o caso foi descoberto e que monitorou a situação desde o final de semana. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.