BC garantiu bom desempenho do País diante da crise, diz Maílson

Condução da política monetária, segundo o ex-ministro, assegurou a estabilidade dos preços que, por sua vez, assegurou um ambiente de previsibilidade e organização para empresas e pessoas

Francisco Carlos de Assis, da Agência Estado,

19 de agosto de 2010 | 11h29

Num momento em que o Banco Central (BC) é criticado em função de problemas de comunicação com agentes do mercado financeiro, o sócio-diretor da Tendências Consultoria Integrada, ex-ministro Maílson da Nóbrega, atribui à instituição o bom desempenho da economia brasileira diante da crise financeira global. "Não foi a isenção de impostos e nem os créditos (concedidos) do BNDES na crise, como o governo gosta de dizer, que seguraram a economia", diz Nóbrega. De acordo com ele, não há como ignorar o papel dos bancos públicos na oferta de crédito, mas tudo isso não seria suficiente se não fosse a atuação do BC.

A condução da política monetária, segundo o ex-ministro, assegurou a estabilidade dos preços que, por sua vez, assegurou um ambiente de previsibilidade e organização para empresas e pessoas, de modo geral. E, segundo Nóbrega, a estabilidade dos preços, especialmente em um País em que os pobres são os que decidem uma eleição, é o que assegura os altos índices de aprovação do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Ainda, de acordo com ele, falta, no entanto, uma gama de ações no sentido de reforçar as conquistas econômicas no País. Ele cita as reformas tributária, previdenciária e política, além do fortalecimento dos marcos regulatórios que facilitariam investimentos no Brasil. As declarações de Nóbrega foram feitas nesta manhã, durante a abertura do Seminário Megafusöes e Aquisições e Defesa da Concorrência, organizado pela Tendências Consultoria Integrada. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.