BC: grau de investimento reconhece meta de inflação

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, avaliou que a mensagem fundamental que está sendo reconhecida com o grau de investimento é que o BC está comprometido com o regime de metas de inflação. Ele evitou, no entanto, responder uma pergunta se a elevação da nota de risco de crédito (rating) do Brasil vai ajudar o BC no trabalho de controle da inflação. ?Entendo a sua pergunta (risos). Mas evidentemente não fazemos previsões sobre fatores específicos e como eles podem ou não influenciar o comportamento futuro da inflação por razões óbvias de sinalização de política monetária. Vamos aguardar todos esses fatores nas próximas reuniões do Comitê de Política Monetária?, comentou. Ele acrescentou que o grau de investimento é extremamente positivo para o País no curto, médio e longo prazo, independentemente da inflação. ?Do ponto de vista da inflação, está claro que o Banco Central está comprometido com o regime de metas da inflação e essa é a mensagem fundamental que está sendo reconhecida no momento?, disse.O presidente do BC comentou a avaliação da S&P de que a liberdade dada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao BC para controlar a inflação teve papel fundamental na decisão de conceder o grau de investimento. ?Ela (a agência) menciona que a adoção pelo Brasil de uma política monetária comprometida com o regime de metas de inflação terá um resultado extremamente positivo e eles fazem inclusive comparações com os países que têm no momento adotado postura menos decidida e comprometida com o regime de metas de inflação?, disse.Meirelles enfatizou que ?certamente? o regime de metas de inflação aplicado com seriedade contribuiu para o grau de investimento junto com os outros pilares do regime de política econômica: superávit primário com dívida pública declinante e câmbio flutuante.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.