Covid-19

Bill Gates tem um plano para levar a cura do coronavírus ao mundo todo

BC inglês comprará bônus corporativos a partir do dia 25

O Banco da Inglaterra (BoE, o banco central inglês) informou hoje que começará a comprar bônus corporativos na próxima quarta-feira (dia 25), usando dinheiro novo impresso pela autoridade monetária. Em comunicado, o BoE disse que também vêm se preparando para comprar pequenas quantias de bônus emitidos por bancos dentro do Programa de Garantia de Crédito do governo britânico, se houver deterioração nas condições do mercado.

NATHÁLIA FERREIRA, Agencia Estado

19 de março de 2009 | 10h13

No começo deste mês, o BoE afirmou que compraria até 75 bilhões de libras em bônus do governo do Reino Unido e títulos do setor privado nos próximos três meses, em uma tentativa de impulsionar a economia e impedir que a inflação caia fortemente abaixo da meta de 2%.

"A compra de bônus corporativos e bônus do programa de garantia de crédito será financiada por reservas do banco central, com o intuito de melhorar o funcionamento dos mercados de crédito corporativo, e vai complementar a compra de commercial papers (títulos corporativos de curto prazo) dentro da Linha de Compra de Ativos, iniciada em 6 de fevereiro (deste ano)", informou o BoE.

O Tesouro britânico autorizou o BoE a comprar até 50 bilhões de libras em ativos do setor privado. Contudo, boa parte das compras de títulos, em termos de valor, ainda deve ser de bônus do governo, afirmou o banco central.

Japão

O Japão lançou hoje o programa para emprestar parte dos recursos de suas reservas em moeda estrangeira para aliviar o aperto do crédito corporativo antes do fim do ano fiscal, em 31 de março de 2009. O Ministério das Finanças informou ter feito empréstimos de cinco anos avaliados em US$ 2,7 bilhões usando as reservas de US$ 1 trilhão do país para o Banco do Japão para Cooperação Internacional (JBIC), que usará os recursos para conceder empréstimos em dólar a empresas com dificuldade de caixa.

A ação do governo segue o anúncio feito no começo do mês de oferta de cerca de US$ 5 bilhões até o fim de março para o JBIC. Essa é uma das diversas medidas que o governo japonês vêm tomando para reduzir o nervosismo do mercado e assegurar que as empresas tenham recursos suficientes até o fim deste mês, quando se encerra o ano fiscal.

O Ministério disse que planeja emprestar outros US$ 2,5 bilhões para o JBIC na terça-feira da semana que vem (dia 24). As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
títulosBOEBOJ

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.