Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

BC intervém no mercado e dólar cai

Frente às crescentes incertezas políticas e econômicas internas, o Banco Central interveio agressivamente no mercado de câmbio, e conseguiu derrubar as cotações do dólar. Mas as preocupações são cada vez maiores com a crise de energia. Teme-se pelos efeitos na economia e também na popularidade do governo, assim como pela capacidade do governo de implementar o racionamento, já que a contestação na Justiça é certa. E mesmo que consiga, ainda não se sabe se o plano de contenção do consumo será eficaz.Além dos desdobramentos da crise energética, a crise política está tirando o sono dos investidores. O Senador Antônio Carlos Magalhães indicou que renunciará ao seu mandato na quarta-feira, prometendo um discurso bombástico contra o seu principal desafeto, o Senador Jader Barbalho, e contra o Presidente da República. Dependendo dos fatos que ele venha a denunciar e das provas que possa apresentar, os efeitos podem ser devastadores.Em meio a tantas incertezas, nem se falou hoje sobre a Argentina. A operação de troca de títulos da dívida de curto prazo do país foi anunciada, e agora espera-se a sua conclusão, prevista para o dia 4 de junho. Se tiver sucesso, as contas publicas terão um alívio temporário nos próximos anos, mas que pode sair caro, dependendo das taxas negociadas. Além disso, ainda resta que o governo consiga tirar a economia da depressão, tarefa complexa com o peso fixo sobrevalorizado. No curto prazo, pelo menos, é improvável que a crise argentina volte a pressionar os mercados brasileiros com mais força.Veja os números dos fechamentosO dólar comercial para venda fechou em R$ 2,3190, com queda de 1,28%. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em queda de 1,47%. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - fecharam o dia pagando juros de 22,570% ao ano, frente a 22,700% ao ano ontem. O índice Merval da Bolsa de Valores de Buenos Aires fechou estável. Nos Estados Unidos, a divulgação de dados decepcionantes sobre o desempenho econômico derrubou as bolsas. O Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - fechou em queda de 1,05%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - fechou em queda de 1,36%. Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

Agencia Estado,

25 de maio de 2001 | 17h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.