BC já admite risco de alta de juros

Com a retomada do crescimento no 2º semestre de 2012, BC pode inverter ciclo de redução da Selic

Eduardo Rodrigues e Adriana Fernandes, da Agência Estado,

22 de dezembro de 2011 | 13h30

BRASÍLIA - Apesar de o Relatório de Inflação do quarto trimestre ter trazido uma perspectiva de recuo no IPCA no curto prazo, o documento aponta que a retomada da expansão econômica a partir do segundo semestre de 2012 deve trazer novas pressões sobre os preços. Por isso, o o Banco Central já admitiu a possibilidade de inverter o atual ciclo de redução dos juros, para evitar um novo surto inflacionário no começo de 2013.

O diretor de Política Econômica do BC, Carlos Hamilton, foi bem claro ao reconhecer essa possibilidade, representada no cenário de mercado que contempla ainda novos cortes - ainda que moderados - na Selic no começo de 2012. "Caso o cenário de inflação em alta para 2013 se confirme, vamos tomar providências, vai haver aumento na taxa de juros", disse sem meias palavras.

Por enquanto, a expectativa da autoridade monetária é de que uma confluência de fatores - que vão desde a queda dos preços das commodities até a redução da atividade econômica sob o impacto da crise internacional - possam gerar um recuo adicional no IPCA do primeiro semestre de 2012. Ou seja, sob essa perspectiva, haveria mais "gordura" para queimar quando voltarem as pressões inflacionárias.

De qualquer forma, Hamilton ressaltou que os impactos de uma aceleração econômica já são sentidos na formação dos preços um ou dois trimestres depois, o que poderá demandar uma ação mais tempestiva do Banco Central, devido à defasagem dos efeitos de política monetária sobre a inflação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.