Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

BC mantém previsão de reajuste dos combustíveis, mas faz alerta

O Relatório Trimestral de Inflação divulgado hoje manteve a projeção de reajuste dos combustíveis ao longo do ano de 2004 de 9,5% já contida na ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) divulgada na semana passada.O reajuste projetado, segundo o documento do BC, levou em conta um preço do petróleo no mercado internacional de US$ 35,00 por barril. O documento do BC alerta para o "risco evidente" de que este cenário precise ser reavaliado. "Risco este que poderia materializar-se em um aumento maior da gasolina em 2004 ou uma defasagem maior que ficasse para corrigir em 2005", diz o texto do documento do BC.Impacto sobre economiaComo na ata da última reunião do Copom, o Relatório Trimestral de Inflação também alertou que o risco inflacionário associado aos preços do petróleo vai além da questão do preço doméstico da gasolina por também impactar os preços das cadeias produtivas de uso mais intensivo do petróleo e as expectativas de inflação dos agentes privados.O Relatório de Inflação ainda destacou a queda dos preços do petróleo nos mercados futuros e ressaltou que, apesar disso, os patamares atuais são elevados e o recuo, se confirmado, será lento.

Agencia Estado,

30 de setembro de 2004 | 11h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.