BC não aplicará regra do CMN

O Banco Central (BC) informou há pouco que não aplicará a regra anunciada ontem na reunião do Conselho Monetário Nacional (CMN) que dava aos bancos o poder de suspender a concessão de novos cheques aos correntistas que não tivessem pelo menos 50% de suas folhas de cheque compensadas. Decidiu-se modificar esta regra porque ela atuava sobre o estoque dos cheques em poder dos clientes e não no fluxo.Em contrapartida, o BC resolveu estabelecer que os bancos podem deixar de conceder novos talões de cheques para os clientes que tenham em seu poder 20 ou mais folhas. O BC decidiu ainda que poderá deixar de dar novos cheques aos clientes que tenham 50% de suas folhas de cheques não liquidadas num período de três meses. O diretor de Normas e Organização do Sistema Financeiro do Banco Central, Sergio Darcy, entretanto, ressaltou que ficou inalterada a regra que reduziu de 20 para 10 o número de folhas de cheques que devem ser concedidas gratuitamente pelos bancos aos seus clientes. O diretor também voltou a defender a medida adotada ontem pelo CMN ao lembrar que ela se deve a uma crescente informatização das operações bancárias, incluindo operações de débito automático e cartão de crédito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.