BC: Norte tem o dinheiro em circulação de pior qualidade

A região Norte do Brasil é a que possui o dinheiro em circulação com a pior qualidade. Fatores climáticos e o menor acesso à rede bancária explicam tal condição. Uma pesquisa inédita divulgada pelo Banco Central nesta segunda-feira revela que cerca de 40% das cédulas de R$ 2, por exemplo, que circulam no Norte estão em condição inadequada.

FERNANDO NAKAGAWA, Agencia Estado

23 de abril de 2012 | 17h42

"Evidentemente, na região Norte há uma questão do clima. Além disso, o acesso à rede bancária é menor e o processo de inclusão financeira é baixo. Isso faz com que o dinheiro em circulação demore mais para chegar à rede bancária para ser trocado. Por isso, o dinheiro fica mais tempo na mão das pessoas e a qualidade cai", explica o diretor de administração do Banco Central, Altamir Lopes.

Outra região com deficiência na qualidade do dinheiro é o Nordeste. Neste caso, apesar de o clima não ser úmido como no Norte (o que estraga as cédulas mais rapidamente), o fato de o acesso aos serviços bancários não ser muito amplo também faz com que a saída de circulação do dinheiro de má qualidade seja atrasada.

Durante a apresentação do estudo, Altamir Lopes indicou que o BC mantém a programação para que as novas cédulas de R$ 10 e R$ 20 da chamada "segunda família do real" - como a das novas notas de R$ 50 e R$ 100 - sejam lançadas este ano, sem mês definido.

Previstas para o ano passado, as novas cédulas tiveram de ser atrasadas por "aspectos operacionais", informa o diretor do BC. "O dinheiro tem alta qualidade e precisa ser testado e checado dentro de um padrão muito elevado. As novas cédulas continuam programadas para 2012", diz Altamir.

Tudo o que sabemos sobre:
BCNortepesquisa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.