finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

BC observa moderação no ritmo de alta do crédito imobiliário

No entanto, chefe do Departamento Econômico da instituição afirma que moderação ainda ocorre em patamar elevado e destaca que crescimento intenso eleva a base de comparação 

Adriana Fernandes e Fernando Nakagawa, da Agência Estado,

25 de abril de 2012 | 14h08

BRASÍLIA - O chefe do Departamento Econômico (Depec) do Banco Central, Tulio Maciel, destacou que há moderação no ritmo de alta do crédito imobiliário no País. Segundo ele, essa moderação na concessão de financiamentos no setor ocorre, no entanto, ainda em um patamar elevado. Maciel destacou que o ritmo de crescimento foi intenso nos últimos anos, o que eleva a base de comparação. Em 2010, a expansão do crédito habitacional foi de 50,4% e de outros 44% em 2011.

Segundo ele, a maior parte da alta do crédito direcionado em março é decorrente de operações de financiamento habitacional, que tiveram expansão de 2,9% em relação a fevereiro. Em 12 meses até março, o crédito direcionado para habitação teve expansão de 41,7%.

O chefe do Depec destacou ainda o aumento de 471 dias no prazo médio dos financiamentos imobiliários em 12 meses até março. Segundo os dados do BC, o prazo médio dessas operações fechou março em 4.819 dias.

"As condições do mercado imobiliário têm sido mais favoráveis em custo e prazo", destacou. Maciel disse que o prazo médio tem aumento à medida que crescem as novas concessões, que têm prazos mais longos que os antigos. Ele enfatizou que a política de fomento de crédito tem se refletido no aumento dos prazos.

Tudo o que sabemos sobre:
BCCrédito imobiliário

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.