BC olha com atenção as taxas de inflação, afirma Meirelles

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, disse que olha com atenção as taxas de inflação, visando detectar qualquer possível retomada no curso da inércia inflacionária. "Temos que olhar com muita tranqüilidade", complementou. "A expectativa é que os aumentos das taxas de inflação sejam pontuais", observou, citando fatores sazonais e preços administrados. Sobre os projetos de autonomia do Banco Central, Meirelles disse que o modelo em discussão no Brasil não é o de independência completa. "Se discute para o Brasil um modelo no qual a meta de inflação, que é objeto de política econômica, seja fixada pelo Executivo, pelo Conselho Monetário Nacional, em acordo com o presidente da República", explicou. O Banco Central teria autonomia operacional para implementar a meta de inflação, completou, lembrando que este modelo está em discussão. PedidosO presidente do BC recebeu hoje da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs) um documento com sugestões de medidas para estimular a atividade econômica. Nele, a entidade avalia que a política de taxa de juros tem sido conservadora nos últimos meses no Brasil. Afirma também que o Banco Central já possui sinais claros de que a inflação está sob controle e que as trajetórias futuras do índice convergem para as metas. A Fiergs também pede a ampliação de prazos e limites nos Convênios de Crédito Recíproco (CCR) e sugere que o BC deve se pronunciar a favor de um novo acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI), entre outros itens.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.