Dida Sampaio/ Estadão
Dida Sampaio/ Estadão

BC diz ter plano de contingência para enfrentar pandemia

Banco Central também informou que servidores poderão trabalhar de maneira remota por até 30 dias nas condições determinadas pelo Ministério da Economia

Eduardo Rodrigues, O Estado de S.Paulo

16 de março de 2020 | 11h53

BRASÍLIA - Enquanto diversas empresas e órgãos públicos começaram a adotar o teletrabalho como forma de reduzir o contato social de seus funcionários durante a elevação dos casos de contágio por coronavírus, o Banco Central (BC) informou nesta segunda-feira, 16, que possui planos de continuidade de negócio atualizados com o cenário de enfrentamento de pandemia e aptos à imediata ativação.

“Em caso de necessidade, as unidades deverão adotar as medidas necessárias para preservar serviços essenciais ou estratégicos, acionando, se necessário, seus planos de contingência. Esses planos podem presumir trabalho remoto em menor ou maior escala”, informou a autoridade monetária, após ser consultada pelo Estadão/Broadcast.

O BC informou ainda que, a partir desta segunda-feira, 16, servidores, contratados e estagiários podem ser dispensados do controle de ponto para trabalharem de maneira remota por até 30 dias, conforme as diretrizes dadas pelo Ministério da Economia.

A medida vale para funcionários com doenças crônicas ou cujos familiares que habitam na mesma residência tenham doenças crônicas, incluindo diabetes, bem como as gestantes e lactantes e as pessoas com idade superior a 60 anos.

O trabalho remoto, contudo, ocorrerá “apenas nos casos em que não haja prejuízos às atividades desenvolvidas no setor, cabendo aos chefes imediatos resguardar o quantitativo mínimo de servidores para garantir a manutenção do atendimento presencial e a preservação do funcionamento dos serviços considerados essenciais ou estratégicos”, conclui o BC.

Receba no seu email as principais notícias do dia sobre o coronavírus.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.