BC prevê inflação maior no primeiro semestre

O Relatório de Inflação referente ao primeiro trimestre de 2001 divulgado pelo Banco Central destaca que a trajetória central da inflação em 12 meses, esperada para 2001, apresenta "inclinação positiva" na primeira metade do ano, atingindo 6,7% ao final do segundo trimestre. As projeções feitas pelo Banco Central para a inflação acumulada em 12 meses, terminadas no primeiro, segundo e terceiro trimestres são as seguintes: 6,3%, 6,7% e 4,9% respectivamente e a variação para o ano numa projeção central de 4,8%. Esse comportamento de inclinação na primeira metade do ano, que indica uma pressão de alta sobre os preços nesse período, ocorrerá, segundo o documento, por dois efeitos estatísticos que já haviam sido destacados pelo próprio Banco Central em seu relatório de dezembro do ano passado. O primeiro é que no cálculo da inflação acumulada em 12 meses, as variações extremamente baixas, observadas no primeiro semestre do ano passado, serão substituídas por variações "que tendem a ser maiores" no mesmo período deste ano. O segundo ponto é a permanência da inflação elevada do terceiro trimestre de 2000 no cálculo da taxa acumulada em 12 meses. Segundo o relatório, esse último efeito deve desaparecer no terceiro trimestre de 2001 e resultar na queda abrupta de 1,8 ponto porcentual da inflação acumulada, dado que a magnitude dos reajustes de preços administrados, previstos para o período, aproxima-se de metade da observada no ano passado e dificilmente coincidirá com o forte aumento dos preços de alimentos, como aconteceu em 2000.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.