BC prevê que Selic pode cair mais

Segundo relatório do Banco Central (BC) divulgado hoje, uma simulação mostrou que, com juros em 17,5% ao ano, o Índice de Preços ao Consumidor Ampliado (IPCA) acumularia este ano inflação de 5,6% e, em 2001, 3,9%. Para 2002, a expectativa é ousada. O IPCA poderia ficar muito próximo de zero.Essa conta veio esclarecer as observações feitas pela ata do Comitê de Política Monetária (Copom) de que havia espaço para um corte de um ponto porcentual nos juros, pois a meta de inflação seria cumprida "com folga". O mercado financeiro não tem dúvidas quanto a intenção da equipe econômica de reduzir ainda mais a taxa. Ainda segundo as projeções do Banco Central, se os juro se mantiverem nos atuais 17,5% ao ano, o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) pode chegar a 3,9% neste ano. Crescimento econômico, emprego e renda O estudo também chama a atenção para os primeiros sinais da recuperação da renda real do brasileiro e para a elevação do nível médio de utilização da capacidade instalada da indústria. O BC lembra que já está havendo uma recuperação nos níveis de emprego por conta desses fatores.O relatório de inflação afirma que o cenário externo continua sendo o principal foco de incerteza para a evolução da economia brasileira, apesar dos riscos serem menores em relação à última análise, feita em março passado. Uma das preocupações é o preço do barril do petróleo. De acordo com o relatório do BC, o valor pode chegar a US$ 27, acima dos US$ 23 previstos no início de 2000.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.