BC prevê superávit de US$ 1,7 bi em julho

Para o chefe do Departamento Econômico (Depec) do Banco Central, Altamir Lopes, os números das contas externas divulgados hoje mostram que o investidor está mais confiante no País. "Temos a cada dia mais consistência nos indicadores, que são bastante sólidos. Isso traz, sem dúvida, mais confiança para os investidores", disse.O saldo da conta de transações correntes do balanço de pagamentos do Brasil com o exterior, divulgado hoje, apresentou um superávit recorde de US$ 2,058 bilhões em junho. Esse é o melhor resultado na história das contas externas do País, informou o Banco Central (veja mais informações no link abaixo). Altamir Lopes informou que o superávit de conta corrente acumulado em 12 meses - de US$ 7,914 bilhões - até junho também é recorde. O chefe do Depec atribui o bom desempenho das contas externos ao peso da balança comercial, que vem registrando sucessivos recordes. Ele previu que a conta de transações correntes do balanço de pagamentos do País com o exterior deve fechar o mês de julho com mais um superávit, de cerca de US$ 1,7 bilhão.A balança de transações correntes é composta pela balança comercial (exportações - importações), a balança de serviços (Fretes pagos e recebidos de navios estrangeiros, juros de empréstimos estrangeiros, lucros remetidos e recebidos do exterior, etc.) e as transferências unilaterais (donativos). Juntamente com a balança de capitais, compõe o balanço de pagamentos do País.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.