BC reduz compra de dólares após compulsório e swap

A entrada de dólares diminuiu de intensidade na segunda semana de janeiro, mas continuou a superar a saída de moeda e aumentou o saldo do fluxo de câmbio no mês para 5,185 bilhões de dólares, informou o Banco Central nesta quarta-feira.

REUTERS

19 de janeiro de 2011 | 13h48

Na primeira semana, o fluxo estava positivo em 4,267 bilhões de dólares.

Os dados revelaram também que, confirmando a expectativa de analistas, o BC reduziu a compra de dólares após anunciar a imposição de um depósito compulsório sobre as posições vendidas dos bancos no mercado à vista.

No acumulado até o dia 14, a autoridade monetária incorporou às reservas 2,291 bilhões de dólares por meio de leilões --menos da metade do fluxo de entrada no país. No ano passado, o BC comprou mais dólares do que o fluxo cambial.

No dia 7, por exemplo, quando entraram 2,998 bilhões de dólares, o BC comprou apenas 270 milhões de dólares --com liquidação dois dias úteis depois, no dia 11.

De acordo com o diretor de Política Monetária do BC, Aldo Mendes, caso nenhum banco se disponha a recolher ao BC o novo compulsório, a posição vendida do sistema cairá cerca de 7 bilhões de dólares em três meses, a 10 bilhões de dólares. A declaração foi feita no anúncio da medida, em 6 de janeiro.

O BC também passou a diversificar a intervenção no mercado de câmbio no período, retornando às operações no mercado futuro pela primeira vez em quase dois anos com um leilão de swap cambial reverso na semana passada. O volume comprado no mercado futuro foi de quase 1 bilhão de dólares.

O fluxo cambial de janeiro é composto por um saldo positivo de 3,968 bilhões de dólares nas operações financeiras e de 1,217 bilhão de dólares nas operações comerciais. Em todo o mês de janeiro do ano passado, o BC registrou a entrada de 1,075 bilhão de dólares.

(Reportagem de Silvio Cascione; Edição de Aluísio Alves)

Tudo o que sabemos sobre:
BACENFLUXOATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.