BC reduz estimativa de inflação para 2003

As instituições financeiras ouvidas em pesquisa semanal feita pelo Banco Central reduziram de 9,74% para 9,69% as estimativas de IPCA para 2003. O porcentual, apesar de menor, ainda é superior aos 9,68% projetados há quatro semanas. Em relação ao próximo ano, os bancos optaram por manter a aposta de uma inflação de 6%, contra a estimativa do BC de um IPCA abaixo da meta de 5,5%. As expectativas de IPCA em 12 meses à frente, no entanto, recuaram de 6,17% para 6,14%, ficando num patamar ainda mais distante dos 6,55% estimados há quatro semanas. O BC registrou ainda uma redução das previsões de IPCA para novembro do ano em curso de 0,55% para 0,54% e uma estabilidade nas estimativas para outubro, que foram mantidas em 0,50%. No tocante às expectativas para o comportamento dos preços administrados, os participantes da pesquisa promovida pelo BC elevaram suas projeções para 2003 de 13,60% para 13,85%. As projeções para 2004, no entanto, ficaram estáveis em 8%.JurosAs projeções de mercado para a taxa de juros no final de 2004 permaneceram estáveis em 14,50% ao ano na pesquisa semanal feita pelo BC. As estimativas de juros para o fim de 2003, por sua vez, recuaram de 17,32% para 17,25% ao ano. As previsões de taxa média de juros para o corrente ano ficaram inalteradas nos mesmos 23,30% do levantamento divulgado na segunda-feira da semana passada. As expectativas para a taxa média de 2004, no entanto, aumentaram de 15,63% para 15,69%. As estimativas para o final de novembro do ano em curso mantiveram-se estáveis em 18%. CâmbioAs previsões de mercado para a taxa de câmbio no final de 2004 subiram de R$ 3,25 para R$ 3,28 na pesquisa semanal feita pelo Banco Central (BC). Apesar do aumento, o valor projetado ainda é menor que os R$ 3,35 estimados há quatro semanas. As projeções para o fim do corrente ano, no entanto, ficaram estáveis nos mesmos R$ 3,00 da pesquisa divulgada na segunda-feira da semana passada. As estimativas de câmbio médio para 2004 caíram, na mesma pesquisa, de R$ 3,19 para R$ 3,15. As previsões para o corrente ano, entretanto, ficaram estáveis em R$ 3,09. As expectativas de câmbio para o fim de novembro do ano em curso, por sua vez, recuaram de R$ 2,95 para R$ 2,94.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.