Werther Santana|Estadão
Werther Santana|Estadão

BC reduz previsão para inflação para 2017 e 2018

Em relatório Focus desta segunda, 18, expectativas para o IPCA neste ano e no próximo ficam abaixo do centro da meta, de 4,5%

Fabrício de Castro, O Estado de S.Paulo

18 Setembro 2017 | 09h19

BRASÍLIA - Sob influência da ata do último encontro do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, divulgada na semana passada, os economistas do mercado financeiro voltaram a reduzir suas projeções para o IPCA - o índice oficial de preços - para este e o próximo ano. 

O Relatório de Mercado Focus, divulgado nesta segunda-feira, 18, pelo BC, mostra que a mediana para o IPCA em 2017 foi de 3,14% para 3,08%. Há um mês, estava em 3,51%. A projeção para o índice de 2018 foi de 4,15% para 4,12%, ante 4,20% de quatro semanas atrás.

Na prática, as projeções de mercado divulgadas no Focus indicam que a expectativa é que a inflação fique abaixo do centro da meta, de 4,5%, em 2017 e 2018. A margem de tolerância para estes anos é de 1,5 ponto porcentual (inflação entre 3,0% e 6,0%). Portanto, a projeção para este ano está cada vez mais próxima do piso para cumprimento da meta.

+ Prévia do IGP-M registra alta de 0,41% em setembro

No dia 6 de setembro, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) havia informado que o IPCA subiu 0,19% em agosto. O resultado ficou abaixo do piso das estimativas do mercado (de 0,22% a 0,47%).

Já a ata do encontro do Copom, publicada no dia 12, reforçou a mensagem de que o BC pretende reduzir o atual ritmo de cortes da Selic (a taxa básica de juros). Após ter cortado os juros em 1 ponto porcentual no início do mês, de 9,25% para 8,25% ao ano, o BC indicou a intenção de, no fim de outubro, promover corte mais moderado. Já a projeção do Copom para o IPCA em 2017 já está em 3,3%.

Entre as instituições que mais se aproximam do resultado efetivo do IPCA no médio prazo, denominadas Top 5, a mediana das projeções para 2017 no Focus foi de 3,15% para 2,84%. Portanto, estas casas já preveem que o BC não cumprirá a meta, já que a inflação ficará abaixo do piso de 3%. Para 2018, a estimativa do Top 5 foi de 4,19% para 4,14%. Quatro semanas atrás, as expectativas eram de 3,38% e 4,00%, respectivamente.

++ Dívida de emergentes mais do que dobra em 9 anos e é liderada por Brasil, Índia e China

Já a inflação suavizada para os próximos 12 meses foi de 4,14% para 4,07% de uma semana para outra - há um mês, estava em 4,43%.

Entre os índices mensais mais próximos, a estimativa para setembro de 2017 caiu de 0,26% para 0,23%. Um mês antes, estava em 0,32%. No caso de outubro, a previsão de inflação do Focus foi de 0,36% para 0,35%, ante 0,37% de quatro semanas atrás.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.