BC regulamenta empréstimos das reservas internacionais

Circular divulgada na noite de quarta determina que apenas bancos brasileiros poderão fazer as operações

Reuters,

05 de fevereiro de 2009 | 09h00

O Banco Central regulamentou os procedimentos que deverão ser seguidos nas operações de empréstimos em moeda estrangeira para empresas brasileiras com problemas relacionados a dívidas no exterior.  Veja também:De olho nos sintomas da crise econômica Dicionário da crise Lições de 29Como o mundo reage à crise Em circular divulgada no fim da noite de quarta-feira, o BC determinou que somente bancos brasileiros poderão fazer as operações. Além disso, os recursos obtidos terão que ser direcionados, no exterior, para as empresas brasileiras por meio de operações de crédito denominadas em dólar.  O anúncio do novo instrumento, criado para amenizar o impacto da crise de crédito global no país, havia sido feito pelo presidente do BC, Henrique Meirelles, em dezembro do ano passado.  O plano do governo brasileiro é emprestar cerca de US$ 20 bilhões das reservas internacionais do País para cerca de 4 mil empresas brasileiras que têm enfrentado problemas de crédito nos mercados internacionais.  De acordo com os dados mais recentes do Banco Central, o setor privado brasileiro tem US$ 21,625 bilhões em vencimento de principal em débitos externos previstos para este ano. Os vencimentos são relativamente diluídos ao longo do ano, com os meses de junho e dezembro concentrando os maiores volumes, de US$ 3,295 bilhões e US$ 3,3 bilhões, respectivamente.  Em termos de juros, o balanço do BC mostra um total de despesas previstas para o exercício de US$ 11 bilhões, mas este valor inclui também os custos dos empréstimos feitos pelo setor público financeiro.  O montante a ser emprestado pelo BC nestas operações será equivalente ao "valor total a ser utilizado pela instituição financeira nas operações de crédito contratadas". O custo das operações será a variação da Libor mais um porcentual a ser divulgado pelo BC.  "A totalidade das operações de crédito efetuadas à conta dos recursos do empréstimo de que trata esta circular deverá, como condição para a liberação do valor à instituição financeira, ser entregue em garantia ao Banco Central", afirmou a autoridade monetária na circular.  Ainda de acordo com a circular, o BC autorizou o Departamento de Operações das Reservas Internacionais (Depin) a baixar normas que irão definir os "procedimentos operacionais" que deverão ser observados para a concessão dos empréstimos.  Em meados de janeiro, o presidente do BC explicou que a ideia do governo é usar estas operações para compensar o declínio da oferta de crédito estrangeiro para companhias brasileiras e, consequentemente, reduzir os custos de financiamento no mercado doméstico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.