BC: renda é tão importante quanto crédito para inflação

O diretor de Política Econômica do Banco Central, Mario Mesquita, disse hoje que o aumento da renda pode ser motivo mais forte que a expansão do crédito na alta recente dos índices de inflação. "A renda, a massa salarial, é tão ou mais importante em algumas regiões e em alguns casos que o crédito", afirmou, ao comentar as causas da recente elevação de preços no País. Mesquita deu como exemplo a recomposição da renda agrícola, verificada principalmente nas regiões Sul e Centro-Oeste em 2007. Isso fez, segundo ele, com que as vendas no varejo nessas regiões disparassem. No ano passado, as vendas cresceram 13,4% no Sul e, no Centro-Oeste, 15,8%. Em 2006, a expansão havia sido de 3,6% e 5,3%, respectivamente. Sobre o crédito, Mesquita disse que ele também tem favorecido o aumento das vendas, principalmente no Sudeste. No Sul e no Centro-Oeste, o crédito potencializa o efeito da renda. Já no Norte e no Nordeste do País, as vendas têm crescido sob influência do aumento das transferências governamentais à população por meio dos programas assistenciais. Para 2008, ele acredita que a renda agrícola pode subir novamente por conta da expectativa de que a safra agrícola cresça 5,1% no ano.JurosMesquita disse que os cortes de juro realizados pelo Comitê de Política Monetária (Copom) até setembro de 2007 ainda não foram sentidos completamente na economia. "É possível que o efeito ainda atue na economia", disse ele, durante a apresentação dos dados do Relatório Trimestral de Inflação, divulgado hoje pelo BC.Segundo o diretor, os efeitos devem ser observados ainda no resultado da atividade econômica do primeiro trimestre deste ano. Ele observou, contudo, que há economistas no mercado que acreditam que esse efeito positivo pode ser mais duradouro, por mais um ou dois trimestres.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.