BC russo corta juro para a mínima recorde de 8,25%

BC russo corta juro para a mínima recorde de 8,25%

O Banco Central (BC) da Rússia voltou ontem a cortar as taxas de juros, pela 12.ª vez em 12 meses, em um esforço para retomar o crescimento econômico, após uma contração em fevereiro. A medida visa também a controlar o fluxo de capitais de curto prazo, que está causando a valorização do rublo.

DOW JONES NEWSWIRES, O Estado de S.Paulo

27 de março de 2010 | 00h00

A taxa de refinanciamento foi reduzida em 0,25%, para a mínima recorde de 8,25%, com efeito a partir de 29 de março. Mas outras taxas também vão cair, segundo informou o BC, em comunicado. Analistas esperavam um corte entre 0,25% e 0,50% neste mês. Desde abril de 2009, a Rússia cortou os juros em 4,75 pontos porcentuais.

"Apesar de certas mudanças positivas em dados que indicam uma recuperação econômica, esse processo permanece insuficientemente sustentável", disse o BC. "Os cortes na taxa pretendem reduzir os custos dos empréstimos, elevar a disponibilidade de crédito e criar condições para estimular a demanda."

O PIB russo caiu à taxa ajustada de 0,9% entre janeiro e fevereiro. As carteiras de crédito corporativo diminuíram 0,7% e a produção industrial cresceu um terço do previsto.

A Rússia tem usado os cortes nos juros para reverter a valorização de 24% no rublo ante o dólar desde 2009, em razão da alta do preço do petróleo, que mais que dobrou desde dezembro de 2008. Após o corte nos juros, o rublo recuou para 34,07 em relação a uma cesta de euros e dólares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.