BC sugere conservadorismo na política monetária

O relatório de inflação divulgado esta manhã pelo Banco Central reforçou para o mercado o sentimento de que a política monetária continuará sendo conduzida de maneira conservadora. O documento dá conta de que a projeção do BC para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) no ano, considerando o nível atual da taxa de juros básica - Selic - (18,5%) é de 4,4%. Com a taxa de juros básica - Selic - em 19%, o BC previa uma inflação de 3,7%. Para 2003, a projeção também subiu de 2,5% para 2,8%. Considerando o juro previsto pelo mercado, de 16,5% segundo a pesquisa Focus junto aos bancos, o IPCA poderia chegar a 5,3%, de acordo com as contas do BC. E, para 2003, a projeção é de 4,3%, também considerando o juro projetado pelo mercado. Outro número importante citado pelo relatório foi a projeção da inflação acumulada em 12 meses encerrados em junho, que é de 7,5%, enquanto que o compromisso assumido com o Fundo Monetário Internacional (FMI) é de uma taxa de até 7,3%. Esses dados, na opinião dos profissionais, apontam para a manutenção da estratégia do BC de evitar cortes intensos na taxa Selic. O relatório deve impedir que o mercado expresse algum alívio diante dos números de inflação divulgados ontem à tarde e hoje de manhã. O Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M) de março saiu ontem e apontou inflação de 0,09%, abaixo da maior parte das previsões, que era de uma taxa de 0,20%. A Fundação Getúlio Vargas (FGV), responsável pela pesquisa, no entanto, já se antecipou dizendo que, em abril, a inflação deve saltar para 0,25%, por conta os reajustes dos combustíveis e de energia elétrica. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), divulgado hoje pela manhã, apresentou também índice de 0,09%, mais uma vez abaixo da expectativa, que era de uma taxa entre 0,10% e 0,25%. Para operadores, as taxas de juro projetadas no mercado de futuros devem permanecer próximas ao nível do fechamento de ontem. Isso significa dizer que, por ora, o mercado continuará expressando um tom de cautela na curva de juros, diante da perspectiva de que a queda da Selic seguirá lenta e gradual. Hoje, o BC não atuou no mercado à vista. Números do mercadoHá pouco, o dólar comercial estava cotado a R$ 2,3420, em queda de 0,17% em relação aos últimos negócios de ontem. No mercado de juros, os contratos de DI futuro com vencimento em outubro, negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), pagam juros de 18,270% ao ano frente a 18,330% negociados ontem. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera com alta de 0,9%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.