BC: taxa média em empréstimo sobe para 37,6% ao ano

A taxa de juro média das operações de crédito dos bancos subiu de 37,4% ao ano em abril para 37,6% ao ano em maio, segundo dados do Banco Central divulgados hoje. A elevação ocorreu nas linhas de crédito para as pessoas jurídicas, cuja taxa média passou de 26,3% para 26,9% ao ano. Nos empréstimos voltados a pessoas físicas, a taxa média caiu de 47,7% para 47,4% ao ano.O BC também informou que o spread médio (diferença da taxa de captação dos recursos pelo banco e a praticada no empréstimo) caiu de 25 pontos porcentuais em abril para 24,5 pontos em maio. Neste caso, o spread das linhas de empréstimos para as empresas teve leve aumento, passando de 14,4 pontos porcentuais (abril) para 14,5 pontos (maio). Nas operações para pessoas físicas, o spread caiu de 34,6 pontos para 33,5 pontos.O prazo médio dos empréstimos permaneceu em 370 dias corridos em maio, segundo o BC, prazo idêntico ao observado em abril. O período dos empréstimos para as empresas cresceu, na média, apenas um dia, para 299 dias corridos, ante abril. Nas linhas para as pessoas físicas, o prazo permaneceu em 457 dias corridos.Cheque especialA taxa de juros média das operações de cheque especial em maio teve a maior variação mensal dentre as modalidades de crédito, passando de 152,7% ao ano para 157,1% ao ano. A segunda maior alta ocorreu nas operações de crédito para aquisição de bens, cuja taxa passou de 56,4% em abril para 58,1% ao ano em maio. O crédito pessoal, por sua vez, teve sua taxa reduzida de 50,6% ao ano em abril para 48,4% em maio. O financiamento de veículos teve a taxa média elevada de 29,8% em abril para 30,6% ao ano em maio.InadimplênciaA taxa de inadimplência nas operações de crédito para pessoa física atingiu 7,3% em maio (7,1% em abril). Segundo dados do BC, este é o maior patamar do indicador desde fevereiro de 2007, quando o porcentual das parcelas de pagamento de operações de crédito com atraso superior a 90 dias era de iguais 7,3%.Apesar desta elevação da inadimplência nos empréstimos para famílias, o porcentual das parcelas em atraso nas operações por pessoa jurídica permaneceu em 1,8%, mesmo patamar de abril.

FERNANDO NAKAGAWA E FABIO GRANER, Agencia Estado

24 de junho de 2008 | 11h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.