BC: todos reconhecem Alexandre Kafka como uma lenda

O Banco Central divulgou nota de solidariedade à família e aos amigos de Alexandre Kafka, que representou o Brasil no Fundo Monetário Internacional (FMI) por mais de 30 anos. "Todas as pessoas que de alguma forma acompanharam a história econômica do País, ainda que não o tivessem conhecido pessoalmente, reconhecem a dimensão do seu trabalho e identificam seu nome como uma lenda", diz o texto."O Banco Central deseja assim reverenciar a memória de 32 anos de trabalho profícuo e ininterrupto desse brilhante brasileiro dedicados como representante dos interesses do Brasil junto ao FMI, aos quais soube emprestar a marca de talento, elegância e discrição que lhe eram indefectíveis", afirma a nota.O texto divulgado pelo BC lembra ainda que Kafka foi conselheiro econômico da Superintendência da Moeda e do Crédito (Sumoc), órgão que precedeu o BC no início dos anos 50.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.