R$ 1,57 bi

E-Investidor: Tesouro Direto atrai mais jovens e bate recorde de captação

BC trabalha para Brasil sair antes da crise, diz Meirelles

Presidente do BC afirma estar engajado na 'preservação da estabilidade econômica' e da estabilidade de preços

Nalu Fernandes, da Agência Estado,

16 de março de 2009 | 12h11

O Banco Central, não só na gestão de liquidez como na gestão da política monetária, está totalmente sintonizado no sentido de proteger o Brasil dos efeitos da crise, afirmou o presidente da autoridade monetária, Henrique Meirelles, durante o painel "O Brasil e a Crise Global - Como o país está superando a atual turbulência", em Nova York. "Dentro de uma postura de preservação da estabilidade econômica e de estabilidade de preços estamos engajados nesta política e fazendo com que a economia brasileira possa, segundo a nossa expectativa, sair da crise um pouco mais rapidamente do que a média e, possivelmente, crescer mais que a média mundial", acrescentou.

 

 Veja também:  

linkMédia de comércio exterior até março é 22% menor que a de 2008

linkLições de 29

linkComo o mundo reage à crise especial

linkEspecialistas dão dicas de como agir no meio da crise

linkDicionário da crise especial 

 

O presidente do BC citou para a plateia, que incluía o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que a taxa de juro real no mercado interbancário está em 5,3% "no menor nível da série registrada no Brasil. Já é uma taxa que impulsiona a economia". Também, reconheceu Meirelles, "indica a expectativa do mercado com relação ao Banco Central. Não vou comentar mais a esse respeito. O importante é que o Brasil está tomando todas as medidas".

 

Meirelles reconhece que o crédito está se recuperando, "mas ainda existe trabalho a fazer nesta área", acrescentou. Sobre a demanda, Meirelles disse que a população do Brasil estava com uma capacidade aquisitiva maior no momento da quebra do Lehman Brothers, que provocou o agravamento da crise internacional, em meados de setembro.

 

O presidente do BC voltou a citar bom nível de capitalização dos bancos brasileiros, bem como, adequação de capital, além de destacar as medidas que o BC tem adotado para injetar liquidez para melhorar a falta de liquidez, como, por exemplo, a liberação de reservas para o sistema para credito de empresas, venda de dólar no mercado a vista, entre outras.

Tudo o que sabemos sobre:
MeirellesBanco Centralcrise

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.