BC vê melhora do mercado de crédito e muda regras de compulsório

O Banco Central divulgou nesta segunda-feira uma série de modificações no compulsório sobre depósitos a prazo, mas disse que não há alteração na liquidez do sistema.

REUTERS

28 de setembro de 2009 | 18h45

"As mudanças visam atualizar as regras à luz das condições atuais da economia brasileira sem alterar a liquidez do sistema, ou seja, com a manutenção do nível atual do compulsório", informou em seu site.

"Passado um ano do agravamento da crise financeira internacional, o mercado de crédito doméstico dá sinas de uma paulatina normalização."

Entre as mudanças, as instituições financeiras só poderão abater da parcela do compulsório recolhida em espécie os ativos comprados de bancos com patrimônio de referência de até 2,5 bilhões de reais. Anteriormente, esse limite era de até 7 bilhões de reais.

Além disso, a parte do compulsório sobre depósitos a prazo recolhida em espécie foi reduzida de 60 para 55 por cento. A parcela em títulos, em contrapartida, foi elevada de 40 a 45 por cento.

(Texto de Daniela Machado)

Tudo o que sabemos sobre:
BACENCOMPULSORIO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.