BCE admite temer pelo futuro da zona do euro

O Banco Central Europeu (BCE), maior guardião do euro, já admite que a divisa corre o risco de implodir em razão da crise das dívidas soberanas que abala os mercados. Um relatório interno da instituição revelado ontem indica que os desequilíbrios fiscais entre os membros do bloco são tamanhos que ameaçam não apenas a unidade monetária, mas até a existência do mercado comum de 27 países.

O Estado de S.Paulo

23 de setembro de 2011 | 03h04

O documento veio a público ontem e ajudou a afundar a confiança dos investidores nos mercados financeiros. Que a ameaça paira sobre o bloco, ninguém duvidava, mas até aqui toda a cúpula do BCE, a começar pelo presidente, Jean-Claude Trichet, negava a possibilidade de desintegração. O relatório tem coautoria de Jürgen Stark, economista-chefe que se demitiu há duas semanas por divergência sobre o rumo da política do banco. O texto sugere que o problema possa ser controlado pela criação de um órgão superior a cada país que fiscalize as políticas orçamentárias nacionais, garantindo maior integração e governança. / A.N.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.