BCE alerta contra uso de recursos do FMI para ajuda à zona do euro

"Esta é uma tentativa de contornar a proibição de financiamento monetário direto na Europa", destaca membro do conselho executivo do conselho executivo do BCE

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

23 de dezembro de 2011 | 10h15

O membro do conselho executivo do conselho executivo do Banco Central Europeu (BCE) Juergen Stark fez um alerta contra a mobilização do Fundo Monetário Internacional (FMI) para ajudar a aliviar a crise da dívida soberana.

"Em termos práticos, não vejo quaisquer outros países, que não os Estados membros da zona do euro, que não usariam esse dinheiro", diz Juergen Stark em entrevista ao jornal alemão Die Welt. "Esta é uma tentativa de contornar a proibição de financiamento monetário direto na Europa."

Os líderes da zona do euro concordaram no início deste mês em elevar a capacidade do FMI para combater a crise, mas o movimento levantou perguntas sobre o como os fundos podem ser usados e quais países contribuirão.

Stark alertou que o envolvimento do FMI exporá a Europa a pontos de vista de organismos internacionais, em vez de resolver seus problemas de forma independente.

Ele também disse que o FMI foi transformado em um "credor de último recurso" por meio do aumento da sua distribuição de empréstimos sem implementar condições muito estritas.

Perguntado sobre sua decisão de renunciar ao conselho de governadores do BCE, Stark afirmou que o movimento não foi baseado em um evento único. A decisão da instituição de relação seu programa de compra de bônus foi "somente um ponto de ruptura", acrescentou. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.