BCE: emergentes sustentarão demanda da zona do euro

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, disse hoje que o forte crescimento das economias emergentes deverá sustentar a demanda externa da zona do euro (15 países europeus que compartilham a moeda). Ele acredita também que a expansão dos investimentos na região deve continuar oferecendo sustentação à atividade econômica, já que a utilização da capacidade instalada permanece sólida e a lucratividade fora do setor financeiro está sustentado. Ao mesmo tempo, disse Trichet, o emprego e a participação da força de trabalho na região aumentou significativamente e as taxas de desemprego caíram para níveis não vistos em 25 anos. "Isto sustenta a renda real disponível e, portanto, o crescimento econômico, embora o poder de compra esteja sendo reprimido pelo impacto dos preços mais elevados de energia e alimentos", acrescentou. JurosTrichet explicou hoje que a decisão da instituição de manter a taxa básica de juro na zona do euro em 4% ao ano reflete informações recentes obtidas sobre a evolução dos preços na região, confirmando a visão do banco de que os riscos de alta à estabilidade dos preços permanecem no médio prazo. "O BCE permanece firmemente comprometido em evitar uma segunda onda de efeitos e materialização dos riscos de alta à estabilidade dos preços no médio prazo", disse. Para Trichet, o nível de incertezas provenientes da turbulência dos mercados financeiros permanece elevado e a tensão ainda persiste. "Diante desde pano de fundo, enfatizamos que a manutenção da estabilidade dos preços no médio prazo é nosso principal objetivo, de acordo com nosso mandato." EconomiaO presidente do BCE disse que os indicadores e pesquisas econômicas recentes sobre a atividade econômica na zona do euro confirmam as expectativas anteriores de moderação, mas de continuidade da expansão no primeiro semestre de 2008. "Em particular, os dados de produção industrial para os primeiros meses do ano mostraram resistência, enquanto o sentimento econômico de modo geral continua a se enfraquecer", disse. As informações são da página do BCE na internet.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.