BCE está pronto para intervir de novo para preservar o euro, diz Draghi

O presidente da instituição também afirmou que os primeiros sinais de recuperação da zona do euro não aparecerão até o 2º semestre de 2013

Danielle Chaves, da Agência Estado,

30 de novembro de 2012 | 08h15

PARIS - O Banco Central Europeu (BCE) permanece pronto para intervir novamente se isso for necessário para preservar a estabilidade do euro, afirmou o presidente da instituição, Mario Draghi.

Em setembro Draghi anunciou que o banco central poderia comprar uma quantidade ilimitada de bônus de governos debilitados da zona do euro, sob rígidas condições. No entanto, o Bundesbank, banco central da Alemanha, repetidamente se opôs a essa política, alertando que isso seria um financiamento aos governos.

Durante entrevista à rádio francesa Europe1, Draghi também disse que a zona do euro ainda não saiu da crise e que os primeiros sinais de recuperação econômica não aparecerão até o segundo semestre de 2013. Quando perguntado se 2013 poderá ser mais positivo do que o esperado, Draghi respondeu: "Espero que sim".

A contração econômica de curto prazo vivida pela zona do euro é inevitável porque o bloco está lidando com problemas de dívida soberana, mas isso deverá ser a base para uma economia mais sólida, desde que reformas estruturais sejam colocadas em prática, afirmou Draghi.

Os credores internacionais da Grécia chegaram a um acordo no início desta semana sobre os termos do plano de resgate oferecido ao país, que abrirá caminho para que o governo grego receba mais 44 bilhões de euros (US$ 57 bilhões) em empréstimos. Perguntado se a Grécia permanecerá como membro da zona do euro, Draghi disse que "a resposta é positiva". As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.