Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

BCE não deu sinal de que cortará juro de novo, diz Trichet

Segundo presidente do Banco Central, diminuição já realizada precisa ser implementada na economia real

Nathália Ferreira, da Agência Estado,

16 de dezembro de 2008 | 11h30

O Banco Central Europeu (BCE) não ofereceu nenhuma sinalização de que irá cortar o juro novamente em janeiro, disse o presidente da autoridade monetária, Jean-Claude Trichet, em comentários a jornalistas a serem publicados nesta terça-feira, 16. Ele lembrou que o BCE reduziu o juro em um total de 1,75 ponto porcentual desde outubro. Veja também:Desemprego, a terceira fase da crise financeira globalDe olho nos sintomas da crise econômica Dicionário da crise Lições de 29Como o mundo reage à crise   "Temos que fazer com que essa diminuição seja realmente implementada na economia real", disse Trichet, acrescentando que "há uma razão" por que ele não deu nenhuma dica sobre um corte de juro em janeiro, quando deu entrevista em 4 de dezembro. Ele também admitiu que há um piso para o juro, conforme o banco central afrouxa a política. "Neste momento, certamente sim, temos que evitar ficar presos em taxas nominais que seriam muito baixas", afirmou. Segundo Trichet, nada está descartado quando se trata de medidas do BCE para restabelecer o funcionamento normal dos mercados monetários. "Eu não recuso nenhuma possibilidade neste momento", disse. Mas ele afirmou que o conselho diretor do BCE não deve comprar commercial papers inteiramente do mercado neste momento.Trichet disse que há poucos sinais visíveis de uma crise de crédito na zona do euro e citou o crescimento da oferta monetária (M3) em outubro, de 8,7% na comparação anual, e o aumento dos empréstimos corporativos de 11,9%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.