BCE não seguirá juro zero dos EUA, diz conselheiro

O membro do conselho executivo do Banco Central Europeu (BCE), Lorenzo Smaghi, disse que os mercados financeiros estão se estabilizando lentamente e sinalizou que o BCE não deverá seguir os passos do banco central norte-americano, o Federal Reserve, em reduzir os juros a zero."As medidas adotadas pelos governos e pelos bancos centrais estão começando a produzir efeito", disse ele, em entrevista publicada neste domingo no diário Il Messaggero. Tanto o BCE como o Fed cortaram as taxas de juros de forma significativa nos últimos meses para conter a recessão provocada pela crise financeira global mas o banco central norte-americano foi mais agressivo.Segundo Smaghi, a situação na Europa é "muito diferente" da registrada nos Estados Unidos. Ele ressaltou também que as taxas de juros para quem possui financiamento imobiliário e para as empresas norte-americanas permaneceram tão elevadas quanto na Europa apesar dos cortes do Fed. Para ele, a crise financeira global aconteceu porque as taxas de juros ficaram muito baixas por muito tempo.Smaghi também defendeu a decisão do BCE em elevar suas taxas em julho passado, dizendo que as expectativas de inflação alta naquele momento pediam aquela decisão. A maioria dos economistas acredita que o BCE irá reduzir sua taxa de juro básica em 0,5 ponto porcentual, para 2%, em sua próxima reunião, em 15 de janeiro. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.